Watch Dogs Legion | Review

Após um segundo jogo mais leve que seu antecessor.

Após um segundo jogo mais leve que seu antecessor, Watch Dogs Legion retorna com um tom mais sério em sua trama. Abandonando os Estados Unidos e pousando na Europa com uma Londres futurística que parece muito atraente e convidativa à exploração. Depois de dois dias jogando e completando quase dez horas de história, eis aqui minhas impressões.

A HISTÓRIA

O jogo coloca você no lugar de um membro do grupo de hackers Dedsec que, ao tentar evitar que um ataque aconteça, acabará sendo culpado injustamente por ele. Uma situação com consequências dramáticas para a Dedsec, que então se vê perseguido pelas autoridades inglesas e deve agora tentar afirmar a sua inocência. Com a ajuda de Sabine, reconhecida líder do grupo agora forçado ao isolamento, e Bagley, a inteligência artificial completa do coletivo (e uma das melhores criações do jogo), você terá que recrutar novos membros prontos para apoiar a causa e provar ao público geral que existe uma conspiração muito maior acontecendo nos bastidores que está influenciando a vida de todos os cidadãos.

CORTE UMA CABEÇA, DUAS APARECEM

Suas peregrinações farão com que você se cruze com vários outros grupos que assumiram o poder desde os ataques: Albion, uma empresa de segurança privada liderada pelo perturbador e onipotente Nigel Cass, o Clã Kelley que tem como líder a sanguinária Mary, o coletivo Zero Day, responsável por liberar os autores dos ataques. Uma bela mistura de personagens que conduzem ao desenvolvimento de temas “maduros”, que vão do transumanismo ao tráfico de órgãos, incluindo questões de escravidão, imigração ou política de segurança. O resultado é bastante misto, principalmente por causa de um cenário sem muito relevo e cujos pontos de inflexão do roteiro principal são extremamente previsíveis.

TODO MUNDO É UM POSSÍVEL RECRUTA

O destaque desse novo jogo, e as merecidas palmas a Ubisoft Montreal se deve ao sistema de recrutamento apresentado no game, é com esse novo recurso de recrutamento aberto que está o coração da proposta da Watch Dogs Legion. O princípio é simples, depois de escolher o primeiro “novo” recruta da Dedsec de uma lista de personagens criados aleatoriamente, você pode gradualmente preencher suas tropas recrutando novos apoiadores … de qualquer NPC que vagueia pela cidade. Para a maioria dos locais, é suficiente abordá-los e perguntar como ajudá-los, o que permite fazer uma nova missão e recrutá-los em caso de sucesso, cada um com um status e características diferentes. Alguns personagens serão mais difíceis de convencer e terão que ser subornados para tentar encontrar um ponto fraco potencial para explorar ou uma forma de ajudá-los e reafirmar sua opinião. O interessante é que o sistema, portanto, não é imutável, e é até bem possível que um personagem neutro comece a te odiar dependendo de suas ações. Enquanto eu jogava, um guarda de Albion ficou totalmente hostil à aproximação dos meus recrutas da Dedsec após ser nocauteado duas vezes pelos meus agentes, o que mais tarde desencadeou o sequestro de um destes recrutas, que então teve que ser salvo através de uma missão.

Com essas infinitas possibilidades e imaginando que a trama irá percorrer desde becos molhados de Londres, passando por escritórios de delegacia e arranha-céus com CEO`s gananciosos, é sempre bom ter um policial, um político desonesto, um médico ou um advogado para assim, pode aumentar sua influência e acessar lugares que outros personagens não poderiam entrar.

Além desse recurso que foi o carro chefe na divulgação do jogo, alguns novos recursos mais discretos também estão disponíveis. Drones de transporte permitem que você mova seu personagem e oferecem novas abordagens aéreas, roupas dedicadas a certos personagens (policiais, mercenários, médicos, trabalhadores, etc.) permitem que você se infiltre mais facilmente em certas áreas, e também há mais variedade nos gadgets. Tudo isso junto dá ao jogador a real liberdade de abordagem a cada zona explorada.

TODA TECNOLOGIA, TEM UM PONTO FALHO

Um dos pontos negativos é a falta de legibilidade na tela durante algumas cenas de ação mais intensas: dirigir, rastrear um inimigo e hackear drones hostis ao mesmo tempo, muitas vezes acaba sendo muito caótico, felizmente, esse tipo de situação não surge com tanta frequência. Por outro lado, a IA inimiga nem sempre é fácil de definir e serve como um verdadeiro ponto fraco no título, às vezes se mostrando muito fraca, ou outras vezes pronta para matá-lo ao menor toque.

LONDRES…

Finalmente, uma palavra final à cidade de Londres, seja na sua reconstrução visual ou sonora. Londres é um personagem por si só, viva nos mínimos detalhes: as ruas estão repletas de detalhes que vão desde etiquetas cobrindo uma rua mal iluminada até vários anúncios explorando tecnologias de realidade aumentada, através da capacidade de modificar a paisagem urbana tradicional com a integração de elementos mais modernos. Existem vários itens colecionáveis – escritos ou de áudio -, em particular alguns podcasts que dão mais pano de fundo a obra e uma trilha sonora de alta qualidade que anima perfeitamente as suas viagens no carro, dando lugar a grandes bandas inglesas.

JOGAR AGORA, OU NA NOVA GERAÇÃO?

Para encerrar o ponto que muitos questionam, vale a pena jogar Watch Dogs Legion agora, ou esperar pela nova geração?

Bem, isso é muito particular, mas o que posso dizer nesse momento é: a história é cativante o suficiente para te prender, Londres está linda, e sim, a parte gráfica realmente fica um pouco a desejar durante a jogatina, mas devemos lembrar que o jogo está chegando no fim da geração de consoles, então por mais triste que seja dizer, o Xbox e Ps4 convencionais não fazem jus a todo o poder, brilho e neon que o jogo pode oferecer, e se quiser vivenciar isso, terá que jogar o título nos novos consoles. A boa noticia é que os títulos da Ubisoft já foram anunciados como cross-gen, ou seja, quem adquirir o game nos consoles atuais terá acesso gratuito a eles também nos novos consoles, com direito a melhorias gráficas que envolvem a iluminação em ray-tracing e tempos de carregamento mais curtos.

Watch Dogs Legion tem grandes ideias, algumas reutilizadas, outras novas e muito bem-vindas, um mundo vasto como já esperado dos títulos da Ubisoft e conteúdo suficiente para prende-lo por horas. Se você curte essa temática Hacker que a franquia oferece, vai fundo nesse playground. E assim que meu XboxSeriesX chegar, volto pra atualizar esse review com uma visão do jogo rodando no todo poderoso.

Watch Dogs Legion foi cedido gratuitamente pela Ubisoft Brasil.

Nossa muito obrigado.

Reader Rating0 Votes
Pontos Positivos
Possivilidade de recrutar NPC'S
Trilha sonora
Temas atuais e polêmicos
Uma Londres linda
Pontos Negativos
Pequenos bugs de personagens
Lipsink fora de Timing
Gráficos abaixo da média
3
More Stories
Gamer Squad lança projeto “Rise Academia”, focado em inclusão, acessibilidade e Libras nos eSports